Maternidade recebe inscrições para 1ª edição de 2019 do curso para gestantes

A edição de janeiro será realizada no dia 30, a partir das 8h30, no auditório da MSI. Demais edições do ano já estão programadas. [LEIA MAIS]

Gol de cabeça

Recentemente, em Leme-SP, brilhantes jovens da Escola SESI daquela cidade não deixaram a pelota passar e entraram de cabeça na Copa. Sabe como? Leia o artigo dessa semana, assinado pelo professor Habermann. [CLIQUE AQUI]

Famesp recebe Troféu Atitude de Ouro por postagem de flashmob em prol do McDia Feliz Botucatu

Post do HCFMB, teve grande repercussão nas redes sociais. McDonald's do Shopping Botucatu também foi premiado após ampliar o percentual de vendas do ano anterior

Entra ano, sai ano e golpe da UTI segue

Data: 07/01/2018 - Veículo: JCnet

Experiência a favor da Famesp

Pasqual Barretti, atual diretor da Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB-Unesp) e ex-presidente da Famesp, pontua, em vídeo exclusivo, momentos marcantes na história recente da Fundação como Organização Social de Saúde. Leia também sobre seu legado na última gestão e o agradecimento que ele registrou quando deixou a presidência da Famesp para assumir a diretoria da FMB, em julho de 2015.

A Famesp é minha vida

Nascida em Botucatu (SP), Cleuza Aparecida dos Santos Vezotto, 65, ¿ssistente t¿ico de dire¿ da Famesp e passou mais da metade de sua vida dentro desta Funda¿. E ela assegura: "eu fa¿o que eu gosto!"

Canal reúne memórias sobre a trajetória da Famesp

Sete vídeos recontam a história a partir de personagens que testemunharam momentos marcantes da instituição. [CONFIRA]

'A Famesp tem extrema importância no Projeto Mulher Feliz'

A educadora física Sônia Suhayla, professora das aulas de dança do ventre do Projeto Mulher Feliz, pontua a importância da Famesp para o projeto. Ela é uma das personagens da Famesp que fazem toda a diferença na vida de quem passa por seu caminho. Autoestima e ressigficado da vida estão entre ganhos apontados por suas alunas de dança. 'No início, estava em depressão. Graças às aulas e às meninas, recomecei minha vida. Somos uma família', relata Rita Brito, de 48 anos, que recomeçou sua vida em Botucatu após conhecer as aulas do projeto. [Leia mais]